sábado, 29 de agosto de 2015

SANTA CECÍLIA DO PAVÃO

Prefeito Padre Zezinho anuncia a liberação de mais de R$700 mil reais
Prefeito Pe. Zezinho anuncia boas noticias para o seu municipio. Segundo ele, o Governo do Estado do Paraná está começando a cumprir os compromissos assumidos e repassou no mês de julho cerca de R$160 mil reais para ser investido na área da saúde e na compra de mais um veiculo para atender a população.
Padre Zezinho anunciou também um repasse de R$260 mil reais, também do Governo do Estado do Paraná para a compra de um veiculo tipo van ou Microônibus para atender no transporte dos moradores.
Outra boa noticia dada pelo prefeito Padre Zezinho é de um recurso no valor de R$300 mil reais, vindo da SEDU (Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Paraná, para o recape asfáltico da Avenida Cícero José dos  Santos.

SANTA CECÍLIA DO PAVÃO

"Até 31 de março de 2016 essas tem que estar entregues", afirma Prefeito Pe Zezinho
Prefeito Pe. Zezinho anuncia que até dia 31 de março de 2016 as 36 Casas do Projeto Sub-50 deverão ser entregues aos moradores.
"Esse sonho da casa própria vai ser um sonho lindo e maravilhoso. Ele foi um pesadelo em 2013, 2014? foi, mas agora com essa palavra de esperança na reunião de hoje ela vem então dizer que as pessoas terão a sua casa e o mais importante que é a custo zero. Então o sonho será bonito, lindo e maravilhoso porque quando as pessoas terão uma casa sem despesa.

SANTA CECÍLIA DO PAVÃO

Prefeito Pe. Zezinho anuncia a reativação do CIDADE DIGITAL, só que agora, com Fibra Óptica.

ASSAÍ - CEFORC INFORMA:

SEGUNDA RODADA PORTUGUESA  3  X  0  CEFORC.
"NÃO JOGAMOS BEM, TIVEMOS MUITOS ERROS E AGORA PRECISAMOS BUSCAR A VITORIA NA TERCEIRA RODADA, QUINTA FEIRA PROXIMA. JOGANDO EM CASA CONTRA GERA DE APUCARANA, AS 15HS, NO ESTÁDIO DR. DURVAL SILVA", COMENTA ROBERTO NEGRI.

Econorte implanta barreira irregular em Jataizinho



Para evitar que motoristas deixem de pagar pedágio na praça de cobrança da rodovia BR-369, a concessionária Econorte resolveu implantar uma barreira em estrada rural do município de Jataizinho.
Inclusive funcionário da empresa - que mora no local, no chamado Couro do Boi - fica cuidando da estrutura de ferro implantada no meio da estrada, em propriedade arrendada pela concessionária.
Segundo ele, pelo menos 12 famílias de agricultores que moram naquela região têm autorização de passar por estrada. 
A Econorte então teria liberado chave para que eles abram e fecham o cadeado existente por lá.
Ocorre que funcionário da concessionária tem que trocar constantemente o cadeado, porque várias pessoas têm destruído, inclusive a porteira que fica no meio da estrada. 
Há quem já usou caminhão e trator para destruir aquela estrutura, atualmente de ferro, e cada dia mais reforçada.
Ainda de acordo com aquele trabalhador, recentemente pessoal da prefeitura e do Ministério Público esteve por lá acompanhando a situação da barreira irregular imposta como forma de evitar que motoristas deixem de usar aquele desvio, e como isso passando longe do pedágio da Econorte.
Enquanto isso, continua a polêmica entre concessionária de pedágio e motoristas, que aguardam uma rápida intervenção do Poder Judiciário para fazer cessar aquela irregularidade.
FONTE - http://noticiasurai.com.br/

ASSAÍ - Ex-secretário da saúde e vereador cassado, Jorge Torquato Júnior, sofre revés da Justiça de Assaí

Em decisão proferida nos autos nº 0000653-49.2014.8.16.0047, em que o Reclamante Jorge Torquato Júnior, entra com Ação de Indenização por Danos Morais contra a Advogada Dra. Carmem Cortez Wilcekn, o magistrado decide: "Ante o exposto, resolvendo esse processo, de Ação de Indenização por Danos Morais, JULGO IMPROCEDENTE o pedido formulado".

Empresários do comércio rejeitam nova CPMF

Os empresários paranaenses do comércio, integrantes dos 61 sindicatos filiados à Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), rejeitaram de forma enfática, em reunião nesta sexta-feira (28), a volta da CPMF, que vem sendo articulada pelo governo federal.
“Em um momento de crise, em que as vendas vem caindo sistematicamente, não se pode admitir a aprovação de mais um imposto, que impacta diretamente no comércio”, declarou o presidente da Fecomércio PR, Darci Piana.
Para Piana, há outras medidas a serem tomadas pelo governo. “É necessário que o governo corte custos, diminua a estrutura burocrática, elimine cargos em comissão, aliene ativos, mas que não venha jogar nos ombros dos empresários do comércio este fardo pesadíssimo que é de sua exclusiva responsabilidade”, completou.
A Fecomércio PR agrega mais de 500 mil empresas, respondendo por 64% do OIB paranaense. A rejeição do empresariado do setor contra a nova taxa é unânime.
O comentário geral é de que o Palácio do Planalto, ao não conseguir o orçamento para 2016, resolveu aprofundar a recessão, tratando de tirar receita de quem gera empregos.
“A nova CPMF representa uma pá de cal sobre a nossa atividade”, afirmou o vice-presidente da Fecomércio, Ari Faria Bittencourt. “Uma ideia nefasta, que não temos como suportar”, finalizou.
A Fecomércio PR estuda uma série de medidas para evitar a concretização do projeto. A primeira delas será mobilizar a bancada paranaense na Câmara Federal.
Medidas judiciais também estão sob análise. 

Câmara Municipal rejeita cassação de prefeito de Siqueira Campos

Por Marcos
A Câmara Municipal de Siqueira Campos rejeitou nesta quinta-feira (27) o pedido de cassação do prefeito Fabiano Lopes Bueno (PSB). A sessão foi acompanhada por cerca de 50 pessoas e durou mais de seis horas.
Conforme o presidente da Câmara, vereador Rodrigo Garanhani (SDD), o pedido de cassação feito pela Comissão Processante foi negado por 7 votos contra 2.
Assim, o prefeito continua no cargo. O resultado da sessão será agora encaminhado à Justiça Eleitoral.
A Comissão Processante durou 90 dias e analisou duas denúncias contra o gestor, cometidas em 2013, segundo os vereadores.
A comissão investigou o suposto uso indevido de máquinas da prefeitura em outro município e o emprego indevido de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).
O prefeito, que não compareceu à sessão, afirmou ao G1 que as denúncias têm conotação política. “Esse resultado já era esperado. Nós apresentamos toda a documentação no momento da defesa. Isso não passou de perseguição política”, considera.
FONTE: G1 - PARANÁ

Boneco inflável de Lula sofre ‘atentado’ durante protesto em São Paulo

‘Lula Inflado’ foi rasgado no Viaduto do Chá na tarde desta sexta-feira, em frente à prefeitura paulista; suspeita está na delegacia
por O GLOBO
SÃO PAULO - Um boneco inflável que representa o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vestido com roupa de presidiário, apelidado de “Pixuleco“, foi rasgado na tarde desta sexta-feira no Viaduto do Chá, em frente à prefeitura de São Paulo.
A estudante de Direito Emmanuelle Thomaziello Valério de Souza, de 20 anos, foi detida após golpear com uma faca o boneco, que esvaziou imediatamente.
A estudante foi segurada por manifestantes e levada por policiais para a 3ª DP, no Centro de São Paulo.
Na delegacia, a estudante contou que é filiada ao PCdoB e integrante da União da Juventude Socialista (UJS), mas negou o ataque.
O caso foi registrado como dano a patrimônio. De acordo com a polícia, o boneco passará por perícia na segunda-feira.

Produtores de morango lamentam inverno quente e úmido

Para Emater, chuva na frutificação não deve atrapalhar a safra paranaense, que deve seguir os patamares de 2014, quando foram colhidas 21 toneladas da fruta
As temperaturas mais altas e as chuvas prejudicaram a cultura do morango no inverno deste ano no Paraná.
É o que afirmar produtores da fruta na região de Londrina. Para frutificar, o morango precisa de frio e como experimentamos um veranico nos últimos meses, os fruticultores não se mostram muito otimistas em relação à safra 2015.
"Este ano não teve frio, então a produção não está tão especial", diz Eloy Muller, produtor de morangos do distrito de Warta, na zona norte de Londrina.
Ele começou a colher as frutas, cultivadas a partir de mudas importadas do Chile, em julho. Em sua propriedade, o fruticultor tem 14 mil pés mantidos em estufa e cultivados em sistema semi-hidropônico e semissuspenso. Para este ano, ele espera poder colher cerca de um quilo de morangos por planta.

Lava Jato pede condenação de André Vargas por 'comando de organização criminosa'

A força-tarefa da Operação Lava Jato pediu a condenação do ex-vice-presidente da Câmara dos Deputados e ex-secretário de Comunicação do PT, André Vargas, por corrupção, lavagem de dinheiro e comando de organização criminosa.
Vargas será o primeiro réu do núcleo político a ser julgado por suspeita de propinas envolvendo contratos da área de publicidade em órgãos federais.
Em alegações finais no processo criminal contra Vargas, os procuradores da Lava Jato pediram ainda o bloqueio de R$ 1.103.950,12 e pagamento de igual valor a título de reparação de danos causados.
Além de Vargas, seu irmão Leon e o publicitário Ricardo Hoffmann são acusados pelo pagamento e recebimento de R$ 2 milhões em propina no âmbito de um contrato de publicidade da agência Borghi Lowe com a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Ministério da Saúde.
"Como representante do povo e do próprio Congresso Nacional, André Vargas tinha o dever de promover a defesa do interesse público e da soberania nacional; exercer o mandato com dignidade e respeito à coisa pública e à vontade popular, agindo com boa-fé, zelo e probidade; respeitar e cumprir a Constituição Federal, as leis e as normas internas da casa e do Congresso Nacional. Não obstante, André Vargas simplesmente desprezou o total apoio conferido por seus eleitores, vindo a influenciar na tomada de decisões da administração pública em seu benefício próprio", assinala o Ministério Público Federal.
"Ora, é sabido que André Vargas possui uma extensa carreira política, assumindo cargos políticos como os de vereador, deputado estadual e deputado federal. Neste último cargo, e durante a maior parte do iter criminis (caminho do crime) imputado na denúncia, André Vargas ocupou a cadeira de vice-presidente da Câmara dos Deputados, um dos cargos mais importantes da República".
"Os motivos dos crimes devem ser valorados negativamente em relação ao acusado André Vargas, uma vez que, valendo-se da sua condição de deputado federal, almejou obter lucro fácil as custas da administração pública, utilizando o prestígio do cargo que ocupava", sustentam os nove procuradores da Lava Jato que subscrevem alegações finais no processo conduzido pelo juiz federal Sérgio Moro, de Curitiba.
As penas pedidas a Vargas foram majoradas não só por envolveram agente público no exercício da função, mas também por estarem relacionadas a organização criminosa.
Segundo a Lava Jato, PT, PMDB e PP em conluio com as maiores empreiteiras do País fraudaram contratos na Petrobras, elevando seus custos em até 20%, e pagando propinas de até 3% para partidos e políticos.
A Polícia Federal aponta prejuízo de mais de R$ 20 bilhões - R$ 6,2 bilhões já reconhecidos em balanço pela Petrobras.
O mesmo esquema montado na estatal petrolífera teria sido sistematizado a partir de 2004 em outras áreas do governo, como o setor de publicidade e energia elétrica.
Em depoimento à Polícia Federal, o publicitário Ricardo Hoffman afirmou que a empresa Borghi Lowe articulou o repasse de comissões de 10% nos contratos de publicidade da Caixa Econômica Federal e no Ministério da Saúde para as empresas do ex-deputado do PT André Vargas em troca da promessa do parlamentar de conseguir novos clientes para a agência no Estado do Paraná. A promessa, contudo, nunca foi cumprida.
Duas empresas de fachada do ex-deputado petista - preso em abril pela 11ª fase da Operação Lava Jato, batizada de A Origem - receberiam sem contratação formal repasses de 10% de produtoras que fizeram campanhas publicitárias da Caixa e do Ministério da Saúde via Borghi Lowe, entre 2011 e 2014.
A LSI Solução e a Limiar Assessoria e Consultoria em Comunicação seriam indicadas para as produtoras para que recebessem parte dos bônus que deveriam ser devolvidos para a agência contratada dos órgãos governamentais - uma forma de ocultar propina.
"Deve incidir para todos os acusados a majorante prevista no parágrafo 4.º do artigo 1.º da Lei 9.613/98, uma vez que todos os acusados cometeram o crime de lavagem de dinheiro de forma reiterada e habitual, bem como por intermédio da organização criminosa que agia no seio e em desfavor da Caixa Econômica Federal e do Ministério da Saúde", alegam os procuradores.
Eles destacam que "André Vargas comandou o núcleo da organização nos atos praticados em face da Caixa Econômica Federal e do Ministério da Saúde".
Segundo os procuradores, a organização supostamente dirigida por Vargas "mantinha conexão com outras organizações, especialmente com a de Alberto Youssef (doleiro da Lava Jato)".
Agência Estado