terça-feira, 24 de maio de 2016

ASSAÍ - INÍCIO DO RECAPE ASFÁLTICO DA AVENIDA RIO DE JANEIRO

Na tarde desta terça-feira (24) a Construtora J Gabriel Ltda deu início obra de recapeamento asfáltico da Av. Rio de Janeiro trecho entre a rua Chile até a Av. Industrial.
Ao todo serão 9.405,77 m² com investimento de mais de 256 mil reais através de emenda parlamentar do Deputado Federal João Arruda.
"Agradecemos o empenho e comprometimento do Deputado João Arruda com o povo de Assaí", comenta o prefeito Mestiço.

ASSAÍ - MICROPAVIMENTO ASFÁLTICO CONTINUA COM RECURSOS DO IPTU

 
Na tarde desta terça-feira (24) a obra de micropavimentação asfáltica atendeu a rua Santa Catarina na região da Vila Nova.
Na próxima semana novas ruas serão recuperadas.

ASSAÍ SERÁ SEDE DA FASE REGIONAL E MACRORREGIONAL DA 63ª EDIÇÃO DOS JOGOS ESCOLARES DO PARANÁ

A fase Regional acontecerá entre 27 de maio a 02 de junho, envolvendo mais de 2000 atletas/estudantes de 12 a 17 anos e profissionais do esporte de Assaí Bandeirantes, Congonhinhas, Cornélio Procópio, Itambaracá, Jataizinho, Leópolis, Nova America da Colina, Nova Fátima, Nova Santa Barbara, Rancho Alegre, Santa Amélia, Santa Cecília do Pavão, Santa Mariana, Santo Antônio do Paraíso, São Jerônimo da Serra, São Sebastião da Amoreira, Sertaneja e Uraí.
Os vencedores de cada modalidade estarão classificados para a fase Macrorregional que acontecerá em Assaí de 15 a 19 de junho.
A cerimônia de abertura da fase regional acontece na próxima sexta-feira (27) no Ginásio de Esportes Yoshihiro Nonomura às 19 horas com desfile das delegações e show do Grupo Sansey de Londrina.
Participem!!!

ASSAÍ - MICROPAVIMENTO ASFÁLTICO CONTINUA COM RECURSOS DO IPTU

Nesta segunda-feira (23) o serviço de micropavimentação asfáltica atendeu trechos das ruas Estados Unidos e Rua Panamá.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2016

TCE reafirma restrição à publicidade de prefeituras em ano de eleição
Decisão tomada pelo Pleno do Tribunal de Contas serve de alerta aos atuais prefeitos paranaenses neste ano de eleições municipais: a extrapolação do limite legal de gastos com publicidade pode levar à desaprovação das contas dos gestores.
Na sessão de 28 de abril, o Pleno do TCE-PR negou, por unanimidade, provimento a recurso de revista de Claiton Cleber Mendes, ex-prefeito de Pérola (Noroeste do Estado).
O recurso pedia a reconsideração de decisão da Primeira Câmara de Julgamentos da corte, que em 2014 emitiu parecer prévio pela irregularidade das contas do gestor em 2012 - ano de eleição de prefeitos e vereadores e encerramento do mandato 2009-20012.
O motivo do parecer pela desaprovação das contas foi exatamente a realização de despesas com publicidade em ano eleitoral superior à média dos três exercícios anteriores.
Em 2012, a administração de Pérola gastou R$ 45.400,59 em propaganda. O valor supera a média do triênio entre 2009 e 2011, que foi de R$ 33.061,90.
O ex-prefeito não comprovou a justificativa apresentada no recurso de revista, de que parte do valor gasto em 2012 (R$ 12.743,24) se tratava, na verdade, de pagamento de serviços de publicidade prestados no ano anterior.
A decisão do Tribunal Pleno, ao negar o recurso de revista, foi embasada na instrução da Diretoria de Contas Municipais (DCM) e em parecer do Ministério Público de Contas (MPC).
Os prazos para recurso passaram a contar em 9 de maio, data da publicação do Acórdão 1806/16 - Tribunal Pleno, na edição 1354 do Diário Eletrônico do TCE-PR, veiculado no portal www.tce.pr.gov.br.
Manual de Fim de Mandato
A limitação do gasto em publicidade, prevista no artigo 73 da Lei Eleitoral (9.504/1997), busca impedir o uso de dinheiro público em benefício do gestor que ocupa o cargo e tenta a reeleição, em prejuízos dos demais concorrentes no pleito.
O mesmo artigo proíbe a publicidade institucional nos três meses que antecedem o dia da eleição até a posse dos eleitos.
Com o objetivo de orientar gestores e técnicos sobre as vedações e regras impostas pela lei, incluindo as limitações de gastos com publicidade, o TCE-PR elaborou o Manual de Encerramento de Mandato 2013-2016.
 Ilustrada e com linguagem acessível, a versão eletrônica do manual está disponível no site do Tribunal: www.tce.pr.gov.br.

Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e frieza’, diz irmã

Em meio à dor de ver o irmão envolvido e morto em um caso policial que ganhou destaque em toda a imprensa nos últimos dias, Elaine de Pádua saiu em defesa de Rodrigo Augusto, o fã obcecado que fez a apresentadora Ana Hickmann de refém em um hotel de Belo Horizonte, no sábado passado.
A ex-modelo estava na cidade para lançar uma linha de roupas. Para Elaine, Rodrigo agiu por "amor" e não por "maldade" e foi "assassinado com crueldade e frieza".
"Ele já estava imobilizado quando levou os tiros, os três pelas costas", escreveu em mensagem no Facebook. Rodrigo Augusto de Pádua foi morto pelo cunhado de Ana Hickmann, Gustavo Corrêa, que também foi feito refém pelo fã e entrou em luta corporal quando ele teria avançado sobre a apresentadora, desarmando-o e então atingindo-o duas vezes na cabeça, além de uma terceira vez no braço.
Segundo contou em entrevistas e à polícia, ele teria agido em legítima defesa: nesse meio tempo, a mulher de Gustavo, Giovanna, foi alvejada duas vezes por Rodrigo, no braço e no abdômen.
"Sinto muito pela apresentadora e sua família, sei que não foi fácil todo esse pesadelo, mas, por ela ser uma pessoa pública, estão nos crucificado e isso é injusto. Não estou aqui para defender ou isentar meu irmão da sua responsabilidade, ele não está mais entre nós para se defender. Estava transtornado sim, mas foi assassinado com crueldade e frieza", escreveu Elaine.
"Eu acredito no Deus de justiça e amor e sei que a verdade vai aparecer, caso isso não aconteça eu acredito na lei divina, porque essa não falha jamais."
Para ela, o irmão só queria "conversar" com Ana Hickmann, e não fazer mal à apresentadora.
"Muitas contradições nos depoimentos e, como minha mãe mesma disse, ele só queria conversar e vê-la... queria atenção de alguma forma. Não vamos esquecer que ele foi impulsionado pelo amor que tinha por ela, em seu mundo ele sofria muito com tudo isso... só quem convivia com ele sabe o que estou dizendo", escreveu.
"O amor levou o meu irmão a tudo isso, não à maldade e crueldade como estão falando."
Elaine continua descrevendo o irmão morto como um filho dedicado à mãe e contando seus planos para o futuro.
"Respeitem a minha família e a memória do meu irmão, ele não está mais aqui... e não tentem achar um culpado crucificando minha família.... minha mãe sangra, ele era a menina dos olhos dela e ele como sempre dizia: 'Minha mãezinha linda e gordinha. Te amo e não vivo sem a senhora, cuida da sua saúde', e abraçava o tempo todo, quando podia...", publicou.
"Seu grande sonho era ser médico, dermatologista... Enfim... uma vida interrompida pela brutalidade. Orem por mim e pela minha família, a dor é imensa."
Outro irmão de Rodrigo Augusto, Helisson, frisou em seu perfil no Facebook que o sequestrador era um "ser humano bom e amável".
"Todos que nos conhecem sabem que Rodrigo Augusto de Pádua era alegre, amoroso, gentil, cuidava dos meus pais com muito amor", escreveu.

Internet será excelente caminho para ganhar eleição

Desafio dos candidatos vai ser produzir propaganda com qualidade para atrair internautas. Conclusão saiu no curso de Formação de Líderes promovido em Bandeirantes pelo PTB do Paraná.
Aquele que souber usar bem a internet durante a campanha eleitoral terá grande chance de se eleger nas eleições de outubro. A afirmação é do advogado londrinense Nilso Paulo da Silva, especialista em Direito Eleitoral.
Segundo ele, por causa do recrudescimento da lei, que limitará significativamente as formas de campanha, os sites, blogues, microblogues, aplicativos de mensagens e redes sociais serão uma ferramenta importante para publicidade eleitoral.
Silva esteve palestrando em Bandeirantes (Norte do Estado) para um grupo de 160 pessoas, dentro do curso regional de “Formação de Líderes” promovido pelo Partido Trabalhista Brasileiro e pelo deputado federal Alex Canziani, presidente estadual do partido.
A maior parte do público foi formada por filiados, simpatizantes partidários e pré-candidatos a prefeito e vereador.
O curso faz parte da estratégia do PTB para capacitar e qualificar seus futuros candidatos:
“É importante porque teremos muitas novidades no pleito deste ano, especialmente no que diz respeito à legislação eleitoral e à utilização da internet”, destacou Canziani. O PTB vai realizar outros encontros do gênero em regiões distintas do Estado.
O grande desafio dos partidos e dos candidatos – diz Nilso Paulo da Silva – será produzir conteúdos inteligentes para expor e compartilhar nas redes sociais e em grupos de discussão na web, uma vez que a internet estará liberada durante a campanha.
“Na verdade, a internet pode ser usada pelos pré-candidatos desde já, só não pode pedir voto”, explica Silva.
“A campanha começa dia 16 de agosto e terá apenas 45 dias, e a internet está liberada para uso intenso na pré-campanha e campanha.”
QUALIDADE NA REDE
A importância substancial da web na campanha eleitoral de 2016 foi confirmada pelo diretor comercial da NX Multiserviços, Ney Aparecido da Cunha Junior, de Londrina.
A NX é uma empresa especializada em desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis.
Cunha Junior também falou durante o encontro do PTB em Bandeirantes. Segundo ele, de cada dez pessoas, oito estão internetadas, “e o interessante é que 60% de quem está na rede entra para ver conteúdo, não produz conteúdo”.
De acordo com Junior, o tema “eleições” tem o interesse de 50 milhões de pessoas na internet, correspondente a 54% dos usuários ativos, segundo os números do ano passado.
Ele também concorda com Nilso Paulo quando mostra que a eleição será vencida por aqueles que souberem usar bem a rede:
“O sucesso nas redes sociais são a criatividade e qualidade. O bom candidato deverá inspirar com citações e impactar com imagens”, destaca.
NOVAS REGRAS
A Lei nº 13.165/2015, conhecida como Reforma Eleitoral 2015, promoveu importantes alterações nas regras das eleições deste ano ao introduzir mudanças nas Leis n° 9.504/1997 (Lei das Eleições), nº 9.096/1995 (Lei dos Partidos Políticos) e nº 4.737/1965 (Código Eleitoral).
Além de mudanças nos prazos para as convenções partidárias, filiação partidária e no tempo de campanha eleitoral, que foi reduzido, está proibido o financiamento eleitoral por pessoas jurídicas.
Na prática, isso significa que as campanhas eleitorais deste ano serão financiadas exclusivamente por doações de pessoas físicas e pelos recursos do Fundo Partidário. Antes da aprovação da reforma, o Supremo Tribunal Federal (STF) já havia decidido pela inconstitucionalidade das doações de empresas a partidos e candidatos.
Outra mudança promovida pela Lei nº 3.165/2015 corresponde à alteração no prazo de filiação partidária.
Quem quiser disputar as eleições em 2016 precisa filiar-se a um partido político até o dia 2 de abril, ou seja, seis meses antes da data do primeiro turno das eleições, que será realizado no dia 2 de outubro.
Pela regra anterior, para disputar uma eleição, o cidadão precisava estar filiado a um partido político um ano antes do pleito.
Nas eleições deste ano, os políticos poderão se apresentar como pré-candidatos sem que isso configure propaganda eleitoral antecipada, mas desde que não haja pedido explícito de voto.
A nova regra está prevista na Reforma Eleitoral 2015, que também permite que os pré-candidatos divulguem posições pessoais sobre questões políticas e possam ter suas qualidades exaltadas, inclusive em redes sociais ou em eventos com cobertura da imprensa.
A data de realização das convenções para a escolha dos candidatos pelos partidos e para deliberação sobre coligações também mudou.
Agora, as convenções devem acontecer de 20 de julho a 5 de agosto de 2016. O prazo antigo determinava que as convenções partidárias deveriam ocorrer de 10 a 30 de junho do ano da eleição.
Outra alteração diz respeito ao prazo para registro de candidatos pelos partidos políticos e coligações nos cartórios, o que deve ocorrer até às 19h do dia 15 de agosto de 2016. A regra anterior estipulava que esse prazo terminava às 19h do dia 5 de julho.
A reforma também reduziu o tempo da campanha eleitoral de 90 para 45 dias, começando em 16 de agosto.
O período de propaganda dos candidatos no rádio e na TV também foi diminuído de 45 para 35 dias, com início em 26 de agosto, no primeiro turno. Assim, a campanha terá dois blocos no rádio e dois na televisão com 10 minutos cada.
Além dos blocos, os partidos terão direito a 70 minutos diários em inserções, que serão distribuídos entre os candidatos a prefeito (60%) e vereadores (40%). Em 2016, essas inserções somente poderão ser de 30 ou 60 segundos cada uma.
Do total do tempo de propaganda, 90% serão distribuídos proporcionalmente ao número de representantes que os partidos tenham na Câmara Federal. Os 10% restantes serão distribuídos igualitariamente.
No caso de haver aliança entre legendas nas eleições majoritárias será considerada a soma dos deputados federais filiados aos seis maiores partidos da coligação. 
Em se tratando de coligações para as eleições proporcionais, o tempo de propaganda será o resultado da soma do número de representantes de todos os partidos.
Por fim, a nova redação do caput do artigo 46 da Lei nº 9.504/1997, introduzida pela reforma eleitoral deste ano, passou a assegurar a participação em debates de candidatos dos partidos com representação superior a nove deputados federais e facultada a dos demais.
COM SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO TSE

SÃO SEBASTIÃO DA AMOREIRA - JUSTIÇA DETERMINA CASSAÇÃO DE MANDATO DE VEREADOR E MANDA EMPOSSAR SUPLENTE

Decisão Judicial do Tribunal de Justiça do Paraná afasta do cargo de vereador e atual Presidente da Câmara de vereadores, Agnaldo dos Santos e determina a posse do suplente Senhor Vagno Valério Orias.
O que a diz a Decisão Judicial sobre Agnaldo dos Santos:
No caso em comento apresenta-se essencial a perda do cargo e do mandato eletivo do condenado, pelo que se passa a expor nos termos do artigo 92, parágrafo único, do Código Penal.
AGNALDO DOS SANTOS fora condenado por corrupção passiva no exercício de função de vereador do município de São Sebastião da Amoreira (gestão 2005/2008), por solicitar vantagem indevida em pecúnia a fim de votar a favor das contas desaprovadas pelo Tribunal de Contas do então ex- prefeito do Município.
Fica evidente a fácil articulação política que pode exercer perante os vereadores do pequeno município de São Sebastião da Amoreira vez que ora ocupa a posição de presidente da Câmara Municipal do Município.
Veja-se que no caso em comento o condenado era vereador, mas não ocupava a posição de presidente da Câmara Municipal e, ainda assim,efetuou manobras e se conluiou com outros vereadores para "vender" votos.
Estando no mais elevado cargo da Câmara Municipal, na condição de presidente e, portanto, exercendo poder sobre os demais vereadores, não há dúvidas da articulação que pode elaborar.
Ainda, AGNALDO não deve perder apenas o cargo de presidente da Câmara, mas também de vereador, vez que ficou claro que não age no exercício da função pública com honradez, aproveitando-se do cargo para obter vantagens pessoais em detrimento do interesse público.
O acusado pode recorrer da decisão.

No Paraná, o pedágio só dá lucro, mais nada

Leonaldo Paranhos
João Chiminazzo Neto, o presidente da ABCR, veio a público reclamar através na imprensa da criação da Frente Parlamentar contra a Prorrogação dos Contratos do Pedágio no Paraná. Diz ele que, falar mal do pedágio rende voto e que o tema requer discussão séria, avaliações técnicas e não discursos para ganhar a opinião pública com mentiras.
Bem, logo Chiminazzo, conhecido com outro epíteto que não vale decliná-lo. Afronta mais uma vez os deputados e os paranaenses achacados por um modelo perverso de concessão de rodovias que sangra a economia do Estado por quase duas décadas. É mais um capítulo deste teatro que mais parece um espetáculo de horrores a olhos vistos.
Não vou entrar no jogo da ABCR e nivelar o debate por baixo, como pretendem as concessionárias de pedágio. Sou contra a prorrogação dos contratos dos pedágios porque eles são perniciosos, lesivos e sangram a economia do Paraná. Se as concessionárias pretendem participar deste debate, que seja de forma altiva e propositiva. Os deputados não aceitam esse nível de agressão.
Quando afirmo que o pedágio só dá lucro, não estou jogando para a torcida. Vejam bem, só em 2014 as concessionárias lucraram mais de R$ 437,8 milhões. Valor acima do registrado em 2013, quando o lucro das empresas superou a casa dos R$ 424,2 milhões.
Com base apenas nos dados destes dois anos, dá para se ter uma ideia do tamanho do lucro das concessionárias, desde 1998, quando começou a cobrança de pedágio nas rodovias do Paraná. Isto tudo, sem a contrapartida esperada, como as obras de duplicações das rodovias pedagiadas e a melhorias de serviços prestados, como viadutos, trincheiras ou passarelas.
A Frente Parlamentar que criamos no último dia 16 de maio é legítima e formada por 26 deputados. Nela, constatamos que sequer 60% das obras previstas foram executadas, sendo que 20% estão em execução. Faltam ainda outros 40% que não tem previsão para sair do papel. Será que até 2021, quando vencem os contratos, elas serão iniciadas e concluídas?
Sou de Cascavel, no Oeste do Paraná, e digo, sem demérito das demais, que a nossa região foi e é a mais massacrada pelo pedágio. Para se ter uma ideia, para percorrer de Foz do Iguaçu até Paranaguá, são 10 praças com valor elevado. São quase R$ 240,00 de carro de passeio na ida e volta e, pasmem, quase R$ 2 mil para um caminhão de seis eixos.
Sou o autor da PEC que prevê um plebiscito para a população dizer se quer ou não prorrogar os contratos do jeito que estão. Defendo a aprovação deste e de mais dois projetos abraçados pela frente parlamentar, que submetem ao legislativo a renovação dos contratos.
Aliás, a frente que revolta a ABCR, começa nesta segunda-feira (23), em Ponta Grossa, uma série de audiências públicas para discutir justamente a renovação ou não dos contratos de pedágio. Depois faremos audiências em Cascavel e Foz do Iguaçu, no dia 17 de junho, em Umuarama no dia 24 de junho e Maringá e Londrina no dia 8 de julho.
A pauta da frente, além da minha PEC e dos projetos que submetem ao legislativo a decisão de renovar os contratos, inclui também obrigação das concessionárias a basear o cálculo das novas obras com referência na tabela do Dnit e DER, conclusão das obras antes do término dos contratos atuais e a aplicação do novo modelo de concessão levando em conta o fluxo de veículos, valor da tarifa e obras realizadas.
Também defendemos uma nova licitação com novas regras que garantam os direitos dos usuários com o fiel cumprimento da legislação vigente. Por isto, digo e repito, não vamos aceitar, como pretendem as concessionárias, a renovação deste descalabro do jeito que está.
Leonaldo Paranhos é deputado estadual pelo PSC e membro da Frente Parlamentar contra a Prorrogação dos Contratos de Pedágio do Paraná.

PF deflagra 30ª fase da operação Lava-Jato

CADEIA NELES!!!
A Polícia Federal (PF) deflagra nesta terça-feira a 30ª fase da Operação Lava-Jato, batizada de “Operação Vício”, nome que remete à sistemática prática de corrupção por funcionários da Petrobras e agentes políticos.
São cumpridos, desde a madrugada, no Rio e em São Paulo, 28 mandados judiciais, dos quais dois são de prisão preventiva, 28 de busca e apreensão e 9 de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento.
A ação mira três grupos de empresas que faziam contratos fictícios com laranjas.
Foram mobilizados para a nova fase da operação 50 policiais federais e 10 servidores da Receita Federal.
Aos investigados, são atribuídos crimes de corrupção, organização criminosa e lavagem de ativos.
Os presos e o material apreendido devem ser levados ainda nesta terça para a Superintendência da PF em Curitiba.
Segundo a PF, as investigações estão inseridas diretamente no já revelado esquema de corrupção e lavagem de ativos decorrentes de contratos firmados com a Petrobras.
Trata-se da apreciação de vários contratos e correspondentes repasses de valores não devidos ocorridos entre empresas contratantes e as diretorias de Serviços e Engenharia e de Abastecimento da estatal.
A PF disse ainda que, em outro procedimento, também estão sendo cumpridos mandados que buscam a apuração de pagamentos indevidos a um executivo da área internacional da Petrobras em contratos firmados para aquisição de navios-sondas.
EX-TESOUREIRO DO PP PRESO NA 29ª FASE
A nova fase acontece um dia depois de a PF realizar a 29ª etapa da operação, batizada de “Repescagem”.
A ação mirou o ex-tesoureiro do PP, João Cláudio Genu, que teve a prisão preventiva decretada. Foram cumpridos ainda seis mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão temporária.
Genu foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do mensalão, em 2012, mas a punição prescreveu durante a fase de recursos.
As investigações da força tarefa da Lava-Jato apontam que o ex-tesoureiro também recebeu propina no esquema de corrupção da Petrobras.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Ana Hickmann desmaiou ao ouvir ameaça de fã: 'Tive certeza que iria morrer'

Ana Hickmann ainda está bastante abalada por causa do atentado que sofreu neste sábado (21) em um hotel em Belo Horizonte, Minas Gerais.
Em entrevista ao "Domingo Fantástico", da Record, a apresentadora revelou que desmaiou ao ouvir de Rodrigo Augusto de Pádua, que era seu fã, que mataria ela e seus cunhados, Giovana e Gustavo.
Ela conta que a bala disparada pelo rapaz - e que acertou sua cunhada - passou muito perto de sua cabeça.
A loira estava hospedada no quarto 902 do hotel Caesar Business, no bairro Belvedere, na zona sul de Belo Horizonte, enquanto Rodrigo já estava no local há dois dias, no apartamento 305.
O rapaz invadiu o quarto onde Ana Hickmann estava com os familiares e fez ameaças contra a vida deles.
Na entrevista, ela contou que tudo começou quando o cabeleireiro que ela contratou, Júlio Figueiredo, chegou ao hotel e Gustavo deixou o quarto para levar um material à recepção.
"Meu cunhado saiu e eu fechei a porta. Em questão de segundos, alguém bateu na porta. Quando abri, era o Gustavo dizendo 'Ana, entra. Tem um cara atrás de mim e ele está com uma arma'. Quando o Gustavo entrou, o Rodrigo apontou a arma diretamente pra mim. Ele dizia: 'Eu vim me acertar com você, sua vagabunda'", contou a apresentadora, bastante abalada.
Ana conta que acreditava que o fã era um assaltante:
"Eu estava esperando outras pessoas entrarem e roubarem nossos pertences. Achei que era um arrastão. Eu estava pronta para mandar ele levar tudo. Celular, computador... Mas ele começou a me ofender, a me humilhar. Falava que me conhecia, que eu sabia quem ele era e que eu tinha acabado com a vida dele. Isso com a arma o tempo todo apontada pra mim. Pela primeira vez eu senti medo e tive certeza de que eu ia morrer".
Segundo a apresentadora, Rodrigo usava de palavras baixas para ofendê-la.
"Eu tentava explicar pra ele que eu não o conhecia, que eu tenho problema de memória, mas não adiantava. Ele falava: 'Você sabe, sua piranha. Você sabe quem eu sou. Confessa pra eles o que a gente teve. Único jeito de você sair viva daqui é confessando", relembrou Ana, não segurando o choro.
Apresentadora falou do filho para acalmar fã
Ela ainda falou de Alexandre Jr, de 2 anos, para tentar sensibilizar Rodrigo:
"'Pelo amor de Deus, eu tenho filho pequeno', eu falava, mas ele me respondeu: 'O Alexandre ele é um anjo, mas você é uma piranha'. Com a arma sempre apontada na minha direção".
Ana Hickmann conta que, neste momento, estava sentada de costas para o homem, na beirada da cama, entre Gustavo e Giovana.
"Eu e meu cunhado tentávamos conversar com ele o tempo todo. Nos virávamos pra falar com ele, mas minha cunhada ficou rezando o tempo todo, pedindo para que nada acontecesse conosco", contou.
Foi neste momento que Rodrigo atirou duas vezes contra a apresentadora: "Eu fiquei muito nervosa e não tinha mais argumentos para falar com ele. Na última vez que eu olhei, ele apontou o (revólver) 38 na altura da minha cabeça. Eu perdi o controle do meu corpo e caí no colo da minha cunhada. Durou poucos segundos. Eu levantei com um estrondo e com o rosto quente. A bala passou ao lado da minha cabeça. Tenho certeza que minha cunhada jogou o corpo em cima de mim para me proteger".
"Quando eu olhei ao redor, vi minha cunhada correndo e meu cunhado em cima do rapaz. Eu e a Giovana levantamos e fomos correndo para o corredor. Foi quando vi o Júlio e um funcionário do hotel, que me chamaram para sair do andar. Acho que fui mais rápida que minha cunhada e perdi ela de vista. O funcionária me levou pra um quarto do oitavo andar e lá eu fiquei por horas, sem saber o que havia acontecido. Não sei o que foi pior: ficar na mira do revólver ou esperar pela pior notícia da minha vida, de que minha família havia sido dilacerada", desabafou Ana Hickmann, aos prantos.
Ana Hickmann bloqueou rapaz no Instagram meses atrás
Ao relembrar o ocorrido, a apresentadora credita o livramento do atentado a Deus e às pessoas que estavam com ela:
"Fui salva pelo meu cunhado e por quem estava ao meu redor. Tenho certeza que tem alguém lá em cima que me ama muito. Se não fosse por isso, meu marido não teria me buscado. Ele teria buscado três corpos no IML pra enterrar aqui".
Ana conta que, na manhã deste domingo, reconheceu uma foto de Rodrigo e lembrou que o havia bloqueado há alguns meses.
"Eu falei para o meu marido: 'Preciso saber quem é esse rapaz'. Eu olhava as fotos do perfil e não lembrava. Foi quando vi uma foto dele e lembrei que eu o havia bloqueado no Instagram", contou. "Lembro que falei com minhas secretárias que ele havia escrito pornografias e que eu estava com medo", declarou.
Sobre o futuro, Ana Hickmann conta que só deseja ver seus familiares novamente reunidos.
"Quero ver minha família toda de volta aqui em casa. Bem, sã, inteira. Foi por amor de família que e gente pôde estar junto", afirmou.
Mesmo abalada com a situação, ela conta que não vai deixar de trabalhar.
"Não vou parar de fazer minhas coisas e acreditar que as pessoas são boas. Isso vai passar, vai ser uma página da minha vida que jamais será apagada. Mas a partir de agora eu vou ver as coisas um pouco diferente. Vou ouvir mais meu marido quando ele se preocupar com minha segurança. Só rezo para que todos voltem pra casa bem", concluiu.
Cunhado de Ana Hickmann fala sobre estado de saúde da mulher
Em entrevista ao "Domingo Fantástico", Gustavo Correa também relembrou a tentativa de homicídio.
"Quando a Ana desmaiou, ele atirou. Eu voei em cima dele e já peguei a arma. Eu disse: 'Corre, corre'. Vi que ele era menor do que eu. Joguei ele na parede e segurei o gatilho, mas ele não soltava".
"Então eu mordi o braço dele muito forte. Dei uma rasteira nele e ele bateu a cabeça forte no chão, abrindo a cabeça. Isso durou uns dois minutos. Eu fui virando o braço dele pra trás até a nuca e disparei duas vezes. E acabou ali", contou.
Gustavo afirmou que só depois disso tudo soube que a mulher, Giovana, estava ferida e havia sido levada ao hospital:
"Foi muito sério o que aconteceu. O tiro atravessou braço, abdômen, intestinos grosso e delgado, pelve e parou na femural. A bala está alojada, mas eles não querem retirar. A nossa maior preocupação é a infecção que pode vir depois".